Acolha os dias, acalme o peito, recolha a voz, ouça os sussurros de dentro. Repouse os olhos em algum lugar imaginário e guarde este conforto no seu corpo. Esqueça por um momento ao menos, a mágoa, a raiva, a rejeição ou quaisquer experiências negativas que tenham confrangido o seu coração. Respire até trazer a calma e promova um sentimento para inaugurar uma semana bonita. Resolva pendências mentalmente e tente concretizá-las dentro de um tempo razoável para que a procrastinação não aumente a ansiedade. Seja generoso consigo, faça algo que te entusiasme, saia da estagnação que a culpa causa. Sinta gratidão por mais difícil que seja ser grato quando a dor se apresenta, o tédio se instala, a solidão se esparrama. Tudo, absolutamente tudo fará sentido e se resolverá daqui a pouco. Não espere que cuidem de você como gostaria de ser cuidado: dê-se afeto, faça-se um afago. Tantas vezes precisamos apenas de uma pequena mordomia emocional para que lembremos de quão merecedores somos da alegria. Instigue sua sede de vida. Queira-se mais que ao Outro. Compartilhe, mas não espere um envolvimento maior que o que se apresenta. Entenda. Escolha. Ausente-se se necessário. Faça-se companhia. Mas se tenha como um bom amigo. Seu melhor amigo.

Desejo um sol aceso no peito.

Marla de Queiroz

 

Deixe uma resposta