Passagem da Tocha Olímpica mobiliza cidade paraense

No dia 17 de junho a Tocha Olímpica desembarca em Santarém, no oeste do Pará. A cidade com pouco mais de 300 mil habitantes se prepara com entusiasmo para o evento que antecede as Olimpíadas Rio 2016. A festa para receber o fogo olímpico terá até carimbó, ritmo tradicional do estado.

Praia da "Ilha do Amor, na vila balneária de Alter do Chão, um dos cenários da Tocha Olímpica em Santarém (Foto: Ádrio Denner/ AD Produções)

Praia da “Ilha do Amor, na vila balneária de Alter do Chão, um dos cenários da Tocha Olímpica em Santarém (Foto: Ádrio Denner/ AD Produções)

Nas lojas do comércio local as bandeiras do Brasil já estão nas vitrines. É como se fosse uma Copa do Mundo, todos pretendem vestir as cores do país e estar bem perto da tocha. Boa parte das empresas renovou o estoque de produtos nas cores verde e amarelo. E algumas mandaram buscar as camisetas oficiais Rio 2016 para impulsionar as vendas!

12038154_743851345743169_4980678646665309131_n

Carimbó, o ritmo que vai embalar a passagem da Tocha Olímpica por Santarém (Foto: Ádrio Denner/ AD Produções)

O revezamento da Tocha Olímpica em Santarém promete ser um dos mais bonitos de todo o percurso pelo país. O motivo? A programação pela manhã inclui no trajeto a vila balneária de Alter do Chão. Um paraíso turístico com praias de areia branca e água cristalina. O lugar é uma antiga aldeia indígena e nada mais justo do que receber este evento que marca a nossa brasilidade.

Conheça aqui Alter do Chão, o Caribe Brasileiro!

10958550_635962509865387_3789939553624983779_n

Encontro das águas dos rios Tapajós e Amazonas (Foto: Ádrio Denner/ AD Produções)

Em Alter do Chão, a programação ainda inclui uma apresentação de carimbó com as agremiações folclóricas Boto Tucuxi e Cor de Rosa. De lá, a Tocha Olímpica será conduzida em um barco, acompanhada das catraias, pequenas canoas que levam os turistas até a praia da Ilha do Amor. Navegando, a comitiva segue até o encontro das águas dos rios Tapajós e Amazonas, um dos principais cartões postais da cidade. A tocha olímpica descerá no Terminal Turístico Fluvial e seguirá para segunda etapa do revezamento, que encerra na Praça Barão de Santarém, com uma grande festa.

Orla de Santarém (Ádrio Denner/ AD Produções)

Orla de Santarém (Ádrio Denner/ AD Produções)

A coordenação local destaca que os preparativos para este evento junto ao Comitê Rio 2016 estão sendo discutidos há um ano. Existe até uma campanha sendo realizada para promover a participação de toda a população. “Estamos mobilizando as escolas do município para abraçarem a chama olímpica no dia 17 de junho. É um grande evento, que com certeza ficará na história da cidade”, revela Ney Bendelack, Coordenador do Revezamento da Tocha Olímpica em Santarém.

Alguns dos condutores da tocha já se preparam para o desafio. Terão 200 metros para segurar o objetivo e uma vida toda para contar o feito, que sem dúvida, é histórico. O empresário César Ramalheiro foi um dos escolhidos para ser condutor. Aos 58 anos, ele corre semanalmente com a esposa e amigos, e disputará até a Corrida de São Silvestre, em São Paulo, no final do ano. “Fiquei muito feliz e lisonjeado. Isto tem um significado especial, estamos levando o clima, a emoção dos jogos olímpicos a todas as pessoas da nossa cidade. Ficará marcado em nossa memória, no coração, na história da nossa cidade e na história dos jogos olímpicos”, contou emocionado.

César Ramalheiro treina semanalmente e se prepara para ser um dos condutores da Tocha Olímpica em Santarém (Foto: Arquivo Pessoal)

César Ramalheiro treina semanalmente e se prepara para ser um dos condutores da Tocha Olímpica em Santarém (Foto: Arquivo Pessoal)

A repórter Dominique Cavaleiro, foi escolhida pelo Comitê Rio 2016 para conduzir a tocha. Ela se inscreveu para ser voluntária nas Olimpíadas e ainda terá essa honra na cidade em que nasceu. “Para quem gosta de esportes, sabe a grandeza deste evento. Eu gostaria de ficar com a tocha, para guardar como recordação, mas infelizmente o comitê não disponibiliza. Só se comprar, e a tocha custa R$ 1.985,30 e não tenho como comprar. Então quero fazer o máximo possível de fotos e vídeos”, conta com entusiasmo a jovem de 24 anos, que em agosto estará no Rio de Janeiro trabalhando na área de Imprensa e Comunicação.

Dominique Cavaleiro será condutora da Tocha e voluntária nos Jogos Rio 2016 (Foto: Arquivo Pessoal)

Dominique Cavaleiro será condutora da Tocha e voluntária nos Jogos Rio 2016 (Foto: Arquivo Pessoal)

Outro condutor é o estudante de Engenharia Física, Yuri Matias, de 22 anos, que se inscreveu em um concurso no site da Coca-Cola. Ele recebeu um e-mail com a confirmação de participação e está ansioso para o grande dia. “Tenho recebido várias mensagens de felicitações e percebo que esse sonho não é só meu, é de muitas pessoas que estarei representando. É a primeira edição dos Jogos Olímpicos no continente sul-americano e estou tendo a oportunidade que milhares de pessoas gostariam de ter, isso ficará marcado para a minha vida toda”, destaca o jovem que nasceu no município de Juruti, também na região oeste do Pará, e estuda em Santarém.

Yuri Matias nasceu em Juruti e também será condutor da Tocha Olímpica (Foto: Arquivo Pessoal)

Yuri Matias nasceu em Juruti e também será condutor da Tocha Olímpica (Foto: Arquivo Pessoal)

Santarém também foi escolhida, pelo Ministério do Turismo, entre 20 municípios em todo o território nacional para receber o Press Trip da Tocha Olímpica. Equipes de Jornalistas e Blogueiros convidados estarão na cidade na véspera do revezamento para conhecer a cultura, as peculiaridades e pontos turísticos. É uma oportunidade única de a cidade mostrar para o mundo seu potencial turístico!

Santarém é olímpica!

Deixe uma resposta