Impecável recriação da diva

slideEscrita em 1995, “Master Class”, de autoria de Terrence McNally, recebeu três prêmios Tony – o Oscar do teatro norte-americano -, inclusive o de melhor espetáculo. Com direção assinada por José Possi Neto, a montagem (Teatro Clara Nunes) traz no elenco Christiane Torloni (Maria Callas), Julianne Daud (Sharon Graham), Bianca Tadini (Sophie De Palma), Leandro Lacava (Anthony Candolino), Thiago Rodrigues (Emmanuel Weinstock) e Thiago Soares.

Abandonada por Onassis, já sem voz e em plena decadência, Maria Callas deu aulas – que mesclavam palestra e prática – na Juilliard School of Music de Nova York em 1971 e 1972, que eram frequentadas por alunos adiantados e celebridades. Mas em função da depressão que a dominava, Callas evidenciava um humor tão corrosivo que gerava pânico nos alunos. Este fato real constitui a espinha dorsal do texto – por sinal, excelente – e a ele deve ser creditado os muitos risos da plateia, que se delicia com os incontáveis “foras” dados pela artista.

Entretanto, McNally teve o bom senso de explorar também o lado mais humano de uma personalidade que combinava vigor e fragilidade em doses equivalentes. Isto se dá através de recordações que, trabalhadas de forma algo delirante, revelam algumas das principais carências e angústias da maior cantora lírica de todos os tempos.

José Possi Neto estabelece uma dinâmica cênica que, abstendo-se de inócuas mirabolâncias formais e em total consonância com o material dramatúrgico, prioriza o que realmente importa: o trabalho dos intérpretes. Na pele de Maria Callas, Christiane Torloni exibe aqui uma das melhores performances de sua carreira. Sofisticada e e ferina em sua relação com os alunos, a atriz também convence plenamente nas passagens em que a amargura e o delírio a dominam, cabendo destacar que em todos os momentos Torloni está irrepreensível, tanto em termos vocais como corporais.

Com relação a Julianne Daud, Leandro Lacava e Bianca Tadini, todos exibem belas vozes e seguras interpretações, com Thiago Soares (que também canta muito bem) estando muito engraçado na pele do desajeitado contra-regra. Ao piano, Thiago Rodrigues exibe ótima técnica e mostra ser um acompanhante primoroso.

Na equipe técnica, destaco com o mesmo entusiasmo as contribuições de Fabio G. Oliveira (maestro), Renato Theobaldo (cenografia), Wagner Freire (iluminação), Fernando Fortes (design de som) e Fabio Namatame & Claudeteedeca (figurinos).

MASTER CLASS – Texto de Terrence McNally. Direção de José Possi Neto. Com Christiane Torloni, Julianne Daud, Bianca Tadini, Leandro Lavaca, Thiago Rodrigues e Thiago Soares. Teatro Clara Nunes. Sexta e sábado, 21h. Domingo, 20h.

Deixe uma resposta