Eduardo Wotzik e sua impecável matéria para fechar o ano! Confiram! Está imperdível!

Vão cair o Cunha, a Dilma, o Dunga, o dólar, os preços, o Temer, os queixos, o Eurico, o Pezão, o Renan, o Paes, os Pintos, o cara que organiza o Voley lá da praia, e o idiota do meu síndico.

Em 2016, vão! Gradear a Esplanada, e economizar tempo e dinheiro público. Vão fazer um teste do Inmetro em toda a PM. Em 2016.

Vão colocar a escola dentro das crianças. Varrer definitivamente dos teatros todos que ali estão por puro entretenimento, por falta do que fazer, passando o tempo, sem talento algum, ocupando espaços, e não são artistas, não necessitam, não servem a nada. 

Em 2016. Vão devolver a cultura para o Ministério da Saúde – como foi na Grécia – e aplicar na população brasileira doses maciças de arte, promover campanhas mensais de vacinação de inteligência, e gotinhas semanais de bom gosto, ética e luz.

Diferente do que supus um dia, o Brasil vai melhorar, não pelo aparecimento do bem, mas pela deflagração do pior.

Em 2016, o Brasil vai pagar o preço por ter dormido demais. E acordado tarde. E evoluir por implosão, por incompetência, má gestão e digestão de si mesmo, autofagia dos servidores e serviços públicos. Os políticos de todo o pais, vão cair todos, como pinos, uns por cima dos outros, de esbarrão, em câmera lenta, num strike histórico. 

Em 2016, vão cair bolas nas nossas redes, atletas no chão. O mundo vai ter enfim a oportunidade de conhecer e experienciar novos esportes como remar contra a maré, contra o lixo, desviando de corpos mortos, botas, colchões, tiros, trombadinhas, falta de curso e recursos, estupidezes e ignorâncias olímpicas, e doenças.  O mundo vai aprender muito com a gente, atletas de Cristo, crentes que nem pão quente em um deus e em um milagre brasileiro.

E pra que ninguém me chame de negativo, pessimista, niilista, desesperanço, pra baixo, em 2016, o que não vai cair: os peitos daquela corredora olímpica brasileira de atletismo que assim que ganhou um dinheirinho botou silicone no peito e acabou com a aerodinâmica do seu corpo.

Enfim, em 2016, se tivermos agua suficiente lavaremos esse mar de lama. E vamos  aprender a usar, sem explorar. E vou professar na peça “Missa para Clarice” até o mundo ouvir.

E como todo ano, incansável procuro as rimas, aí vai:

Feliz 2016, pra vocês!

Eduardo WotzikImageProxy1-horz

Deixe uma resposta