Dois Idiotas sentados Cada Qual no Seu Barril

ESPETÁCULO RETORNA EM CURTA TEMPORADA

E FALA COM HUMOR SOBRE INTOLERÂNCIA E DISPUTA DE PODER

Dois idiotas por Anderson Gligor

Nas palavras de Dib Carneiro Neto, “Stella Tobar tem construído uma carreira promissora no teatro para crianças. Vi de sua direção uma boa adaptação de Dois Idiotas sentados Cada Qual no Seu Barril, a partir do livro conhecido de Ruth Rocha. Fez carreira curta, deveria voltar.”

Pois o espetáculo retorna aos palcos dia 05 de Agosto, para homenagear a escritora Ruth Rocha em seus 50 anos de carreira. Integra também a Mostra PAZ NA CENA, sendo um dos espetáculos que alertam e tratam de temas sobre o horror da guerra e a necessidade de paz no mundo.

Assim, cumpre temporada popular de apenas 04 semanas, no teatro João Caetano, na Vila Mariana.

A obra “Dois idiotas sentados cada qual no seu barril” é uma metáfora, e foi criada originalmente sob o pano de fundo da Guerra fria entre EUA e Rússia, que poderia destruir todo o planeta. O texto fala sobre intolerância e disputa, e mostra que o não ceder e o querer impor a sua opinião podem levar à própria destruição e a de todos ao redor.

O tema não poderia estar mais atual! Nunca precisamos tanto de união e tolerância entre as pessoas! Colocar essas questões em pauta às crianças e jovens por meio da arte e do humor, que abrem a escuta, é uma incrível oportunidade!

O espetáculo, mesmo por meio do humor, é um grito pela paz e contra os horrores da intolerância e ambição que levam à guerra.

Como ressaltou o crítico Vinícius Vieira, quando o espetáculo participou do Festival Recife do Teatro Nacional em 2016:

“ (…) Stella Tobar tem se mostrado como uma exímia diretora, preocupada em levar ao público infantil temáticas caras à existência humana.  A artista tem se posicionado no lugar para além das montagens de contos de fadas ou duplos, no teatro, de personagens que povoam o cinema e a TV.”

Duração: 50 minutos.


Dois idiotas sentados cada qual em seu barril – foto Marcelo Sarmento. Atores Giuliano Caratori e Paulo de Pontes

ENCENAÇÃO _  A encenação buscou a comicidade da situação e dos personagens, com uso de recursos da linguagem do teatro de circo e do palhaço. O espetáculo busca divertir e, por meio do simbólico, refletir sobre a importância da tolerância e do diálogo.

Optou-se por caracterizar os personagens como combatentes de guerra, de exércitos distintos. O palco representa um acampamento de guerra. Há duas barracas ao fundo, uma de cada lado do palco, simbolizando que estão em lados distintos da “guerra”. Perderam-se da tropa e encontram-se sozinhos neste local, onde começam a travar sua disputa territorial e de poder.

A encenação serve-se do vídeo em uma das cenas, para potencializar a comunicação e a reflexão. Os figurinos são idênticos, mudando-se as cores. Para remeter à ideia de que, apesar de por vezes estarmos em lados opostos, somos iguais.

O jogo da dupla em cena foi pautada nas relações de Branco e Augusto, onde um serve de escada para as palhaçadas do outro. No estilo da dupla Gordo e Magro, por exemplo. Nesta montagem, Mandão e Teimosinho, respectivamente.


MOSTRA PAZ EM CENA_ O espetáculo é o representante para crianças na Mostra Paz em Cena, uma série de espetáculos e leituras que tem em comum o tema da busca pela paz e contra os horrores da guerra. Os espetáculos adultos são: “Os três sobreviventes de Hiroshima”, idealização e direção de Rogério Nagai; “Ghandi, a ética inspiradora”, de João Signorelli e “Os pássaros de Sadako”, dramaturgia e direção de Geraldo Fernandes (Cia A Jaca Est). Todos estarão em cartaz no mês de Agosto, no Teatro João Caetano.


SERVIÇO

Dois idiotas sentados cada qual em seu barril – Com Giuliano Caratori e Paulo de Pontes, foto Marcelo Sarmento

 

Dois idiotas sentados cada qual no seu barril, de Ruth Rocha, adaptação Dario Uzan. Concepção de Direção Stella Tobar. Com Giuliano Caratori e Paulo de Pontes. Realização: Fato e Borbolina Cia. ​Nessa comédia adaptada da obra de Ruth Rocha, que comemora 50 anos de carreira,​ Teimosinho e Mandão são combatentes de guerra de exércitos distintos e carregam cada qual um barril cheio de pólvora. Egoístas e autoritários, não conseguem dialogar pacificamente. Mas, ao acenderem uma vela, o que pensavam ser um trunfo pode se voltar contra eles. Será que conseguirão chegar a um acordo para o bem comum?​

Teatro João Caetano. Rua Borges Lagoa, 650 – Vila Clementino, São Paulo – SP, 04038-020. Telefone: (11) 5573-3774

Sábados e Domingos, 16h. De 05 a 27 de Agosto. 07 apresentações. Capacidade: 438 lugares. Obs: Dia 06 de Agosto não haverá espetáculo.

Ingressos: 15,00 e 7,50

Duração: 50 min.

Mais informações:

Stella Tobar

www.stellatobar.com

11-98327-4130

Deixe uma resposta