BERTA LORAN: 90 Anos de Humor – Uma Homenagem ao Talento de Berta Loran por João Luiz Azevedo

Saiba como adquirir a biografia da atriz veterana: BERTA LORAN: 90 ANOS DE HUMOR

Berta Loran: 90 anos de HumorA atriz BERTA LORAN que completou no dia 23 de março de 2016, 90 anos tem sua vida contada nas 216 páginas de seu livro biográfico “BERTA LORAN: 90 Anos de Humor – Uma Homenagem ao Talento de Berta Loran por João Luiz Azevedo”.

Para adquirir o livro BERTA LORAN: 90 Anos de Humor, contatos pelo telefone (21) 98481-0933 ou pelo email azevedojlaa@gmail.com

O livro é apresentado na forma de uma grande entrevista – perguntas e respostas – da atriz Berta Loran ao jornalista João Luiz Azevedo, contando, de forma coloquial, um pouco da vida, carreira e cotidiano dessa grande atriz.

Sua infância pobre no gueto de Varsóvia e a vinda para o Rio de Janeiro, fugida da 2ª grande Guerra Mundial, com seus pais, irmãos e tios, seus dois casamentos, seus colegas de profissão, religião, política, teatro, tv, música, cinema, casos pitorescos vividos em família e em cena, enfim, um pouco de tudo.

A trajetória da pequena Basza Ajs, nascida na Varsóvia em 1926, a saída da Polônia, ainda  menina, até a chegada ao Brasil, em 1937, instalando-se na cidade do Rio de Janeiro, onde iniciou sua grandiosa carreira artística, passando pelas principais emissoras de TV até chegar à Rede Globo, onde participou de (quase) todos os programas humorísticos da emissora – de “Bairro Feliz” (1966) a “Zorra Total” (2004) – passando por programas de sucesso como “Balança Mas Não Cai”, “Faça Humor, Não Faça a Guerra”, “Satiricom”, “Planeta dos Homens”, “Viva o Gordo”, “A Escolinha do Professor Raimundo”, “Chico Total” entre tantos outros,  destaque em telenovelas como “Amor com Amor se Paga” de Ivani Ribeiro, “Cama de Gato” e “Cordel Encantado” de Duca Rachid e Thelma Guedes,  seriados como “A Grande Família” e “A Diarista” e minisséries como “Chiquinha Gonzaga” alegrando seu fiel público durante mais de 50 anos.

No livro, Berta fala da família, dos maus-tratos sofridos na Polônia por ser judia, lembra de quando Hitler disse no radio que iria aniquilar todos os judeus, pouco antes do início da 2ª Guerra mundial.  Lembra de quando chegou à escola pública, pela primeira vez, e foi apresentada a sua turma pela professora.  Lembra de seus primeiros passos no palco no Teatro Judaico (Teatro Idiche) no Rio de Janeiro, passando por suas temporadas de sucesso em Buenos Aires, em revistas na praça Tiradentes e, por seis anos, em Portugal, ao lado dos grandes nomes do teatro lusitano, da época. Depois disso, já no Brasil, fez muito sucesso em comédias de George Feydeau, João Bithencourt, Oduvaldo Viana Filho, Leilah Assunção e Mauro Rasi.

Berta Loran declara seu carinho por Bibi Ferreira, sua grande amiga durante o período que trabalharam em Portugal, seu agradecimento ao Boni, que a levou para a Rede Globo em 1966, sua admiração ao Jô Soares com quem trabalhou por 17 anos e Chico Anysio com quem trabalhou por 10 anos em vários programas de humor.

O prefácio do livro é assinado pelo autor, ator, diretor e produtor teatral Claudio Botelho, a apresentação (orelha do livro) é assinado pela “diva” Bibi Ferreira e conta ainda com cartum exclusivo e inédito do Ique Woitschach.

O livro conta com perguntas de 70 artistas, jornalistas, produtores culturais, entre eles os atores Stepan Nercessian, Anselmo Vasconcellos, Elisa Lucinda, Aloísio de Abreu e Fernando Eiras, o diretor musical Caíque Botkay, o crítico teatral Rodrigo Monteiro, a cantora Teresa Cristina, o jornalista e crítico musical Mauro Ferreira, o biógrafo de Cauby Peixoto e Ângela Maria, Rodrigo Faour, o diretor de óperas Fernando Bicudo e depoimentos de 122 colegas da classe artística, jornalistas e familiares, entre eles Boni, Maurício Sherman, Jô Soares, Ari Fontoura, Ney Latorraca, Fernanda Torres, Fernanda Montenegro, Claudia Raia, Charles Moeller, Cininha De Paula, Renato Aragão, Marcius Melhem, Tom Cavalcante, Luis Gustavo, Claudia Jimenez, Arlete Salles, Rodrigo Sant’Anna,  Débora Bloch, Edson Celulari, Osmar Prado, David Pinheiro, Castrinho, Heloísa Périssé, Tereza Rachel, Dedé Santana, Juca Chaves, Nélson Freitas, Ari Toledo, Rodrigo Fagundes, Orlando Drummond, Antonio Pedro, Emiliano Queiroz, Elke Maravilha, Paulo Silvino, Eliezer Mota, Bemvindo Sequeira, Rogéria, Jane Di Castro, Nizo Neto, Katiuscia Canoro, Murilo Benício, Claudia Mauro, Gracindo Jr, Cauã Reymond, Solange Couto, Marcos Oliveira, as  jornalistas Leda Nagle e Lucia Leme, as autoras de telenovelas Duca Rachid & Thelma Guedes, o bailarino português Carlos Mendonça e a atriz portuguesa Florbela Queiroz, que trabalharam com a Berta, de 1957 a 1963 em Portugal e o ator português e fã Miguel Villa e até a crítica teatral Barbara Heliodora, concedido pouco antes de sua morte.

Nas páginas finais o autor enumera os principais trabalhos da atriz no cinema, televisão e teatro além de apresentar o poema “Ser Atriz” onde a homenageada mostra as dificuldades e prazeres da profissão que escolheu ainda criança.


OPINIÃO DE QUEM LEU…

Na verdade, a obra é de uma sensibilidade e veracidade que cativam o leitor desde a primeira linha, até o final do livro, emocionando, fazendo rir, chorar, pensar e repensar a vida, ante a tantas coisa de valor duvidoso desse grande Brasil.

Berta é um exemplo de luta, dedicação e coragem  para se enfrentar os desafios que a vida de artista impõe. É uma mestra em driblar os problemas do dia a dia com seu empenho e bom humor, receita para um viver mais consciente e emocionante, nos embriagando, nessa obra, com sua história pessoal e algumas revelações dos bastidores do meio artístico brasileiro.

Berta justifica no livro o que sempre disse em suas entrevistas e shows: “A história da minha família é muito engraçada!”.

O livro faz rir, faz pensar, faz emocionar, faz chorar.

É um ensinamento para os jovens atores, um exemplo para todos que tentam passar pela vida, usufruindo do que ela tem de melhor.

E ela sabe, como ninguém, VIVER!


A ATRIZ 

Vale lembrar que, apesar da idade, BERTA LORAN encontra-se lúcida e trabalhando.

No final do ano passado/ 2015, a atriz participou do quadro – “O Grande Plano” – no Programa “Fantástico” da Rede Globo, ao lado da Elke Maravilha e a ex-porta bandeira da Portela, Vilma Nascimento.

BERTA LORAN teve destaque nas novelas “Cordel Encantado” (2011) e “Cama de Gato” (2009) de Duca Rachid e Thelma Guedes, e “Amor Com Amor Se Paga”, onde interpretou a inesquecível “Frosina” ao lado do “Sr Nono” vivido pelo Ari Fontoura.

Participou também dos principais programas de humor: “Zorra Total” (onde interpretou a portuguesa “Maria” ao lado do Agildo Ribeiro), “Escolinha do Professor Raimundo” (onde interpretou a portuguesa “Manuela D’Além Mar” e a judia “Sara Rebeca”), “Viva o Gordo” ( ao lado de Jô Soares, Agildo Ribeiro e grande elenco), “Satiricon”, (ao lado de Agildo Ribeiro, Paulo Silvino, Jô Soares, Renato Corte Real, Luiz Carlos Miele), “O Planeta dos Homens” onde interpretou a personagem “Aurélia”, “Faça Humor, Não Faça Guerra” e “Balança Mas Não Cai”.

No cinema, participou dos filmes “Até que a Sorte nos Separe 2” (2013) ao lado de Leandro Hassum e Jerry Lewis, “A Guerra dos Rocha” (2008) com a direção do Jorge Fernando, “Polaróides Urbanas” (2006) direção do Miguel Falabella, dentre muitos outros.

No teatro, ela participou de grandes comédias do passado, como “O Peru” (1963) de George Feydeau, “Boeing Boeing” (1964) direção de Adolfo Celi,  “Como Vencer na Vida Sem Fazer Força”(1965) com direção de Augusto César Vannucci, “Cinderela do Petróleo” (1966) de João Bethencourt, “Alegro Desbum” (1973) de Oduvaldo Viana Filho, “Camas Redondas e Casais Quadrados” (1974), com tradução de João Bithencourt e direção de José Renato, “Três Solteironas Balançando o Rambo” (1991) de Zilda Cardoso, “As Tias de Mauro Rasi” (1996), o infantil “Os Dálmatas – O Musical” (1997) onde interpretava o personagem da malvada “Cruela Cruel”, que fora interpretada nos cinemas por “Glen Close”,“Até Que as Sogras nos Separem”, “Quem Vai Ficar com a Velha?” e “Pais Criados, Trabalhos Dobrados”, de Moacyr Veiga, além de seus 2 show solos “Divirta-se Com Berta Loran” (1980 e 1994) e “Ainda Estou Aqui!” (2002).

E é por essas e muitas outras que ela será homenageada, por todo esse ano de 2016, em que completou 90 anos de idade e muito bom humor!!


Comentários sobre a Berta Loran, que estão no livro…

“Dona de uma capacidade histriônica invejável, ela dança, canta e representa com um desembaraço incrível.” (ARI FONTOURA)

“Ela é uma das maiores comediantes do Brasil e foi um prazer trabalhar com ela, na “Escolinha do Professor Raimundo” e no filme que dirigi, “O Fantasma de Canterville”. (ANTONIO PEDRO)

“Berta Loran é sem dúvida uma mulher dos palcos, como se costuma dizer, nasceu pra isso!  É uma grande comediante, que canta, dança… E sozinha num palco é capaz de entreter o público, como se estivesse na sala da sua própria casa.  (ARLETE SALLES)

“Berta Loran é um dos ícones da comédia brasileira, uma das melhores representantes das comediantes que esse Brasil já teve.” (BEMVINDO SEQUEIRA)

“Berta Loran é daquelas comediantes que parece ser americana: ela tem o timing de comédia, precisão e ritmo extraordinários.  Ela é uma atriz perfeita sob todos os aspectos”. (BONI)

“Uma das maiores atrizes comediante deste pais e uma excelente colega” (CASTRINHO)

“Dona Berta Loran é uma das atrizes comediantes mais importantes do Brasil, que tive o prazer de contracenar com ela em “O Cordel Encantado.  Parabéns pelos seus 90 anos, eu lhe desejo o melhor, muita saúde, muita paz, tudo de bom!”  (CAUÃ REYMOND)

“A Berta nunca chegou nas gravações com o texto na mão, nem com dúvidas. Ela nunca errou um texto, uma linha, nada… Muito pelo contrário, às vezes até ajudava os outros colegas que tinham dificuldade em decorar.” (CININHA DE PAULA)

“Berta Loran, linda, maravilhosa, parabéns pelo seus 90 anos, o que eu sei de comedia eu aprendi com você. Quando comecei no “Viva o Gordo”, você era uma das atrizes principais do programa, era uma comediante espetacular, eu achava tanta graça em você que assistia tudo que você fazia.  Eu queria aprender com você.” (CLAUDIA RAIA)

“Para mim Berta, está no panteão onde reinam Lucille Ball, Bob Hope, Martha Raye, Jimmy Durante, Fanny Brice e uma série de outros artistas de origem judaica… um país que tem Dona Berta em seu elenco, tem história, tem estirpe, tem classe!” (CLAUDIO BOTELHO)

“Berta é uma atriz completa, que transita entre a comédia e o drama com o mesmo talento. Uma profissional muito dedicada e disciplinada e uma pessoa gentil e carinhosa.” (DUCA RACHID)

“Berta faz parte da nossa vida, faz parte do nosso riso, faz parte da nossa profissão. É tão bonita a sua força.  Eu conheço ela há muitos e ela sempre foi uma mulher muito estruturada, muito elegante, muito cuidada. Vamos aplaudi-la, abraça-la e beijá-la! (FERNANDA MONTENEGRO)

“Tenho o maior orgulho de ter conhecido, convivido e contracenado com a Berta Loran! Fiquei impressionada com seu tempo cômico, com a tranqüilidade com que desenrola a piada, como se ela tivesse vivido aquilo.” (HELOISA PÉRISSÉ).

“Grande  atriz,  comediante perfeita, que sabe nos fazer rir ,que nos encanta nos palcos e nas telas há mais de 60 anos que eu sempre tive enorme prazer em entrevistar e ouvir suas histórias da vida e da arte. Meus respeitos e minha admiração! (LEDA NAGLE)

“Eu trabalhei com as maiores atrizes desse pais, mas me faltava uma estrela de primeira grandeza que eu amo, porque é um talento inigualável… Faltava a Berta Loran. Não falta mais!” (LUIS GUSTAVO)

“Sua inteligência, seu talento, o que ela representa na história do humor, sempre me despertou a mais profunda admiração. Berta Loran merece todos os aplausos, todas as homenagens e todo o carinho por sua linda e marcante presença no humor nacional. Te amo, Berta”. (MARCIUS MELHEM)

“Berta Loran é incomparável no meio artístico entre os comediantes brasileiros. Ela realmente é uma atriz excepcional.” (MAURICIO SHERMAN)

“É motivo de grande regozijo que a Berta Loran escolheu o Casa Grande para o lançamento do livro sobre sua vida e sua obra. Ela é uma das maiores atrizes que esse pais revelou, além de ser um esplêndido ser humano.” (MOYSES AJHAENBLAT – Sócio fundador do Teatro Casa Grande).

“Aprendi com ela que os humoristas têm sempre uma opinião diferenciada do mundo. E isso é fundamental”. (MURILO BENICIO)

“Com seu nome escrito em letras garrafais na história e na memória da cultura brasileira, Berta colocou seu talento à disposição de inúmeras personagens ao longo da carreira, encantando gerações com seu humor peculiar e perspicaz”. (NELSON FREITAS)

“Eu amo você. Você é um luxo! A Berta Loran é dona de uma escola, de uma maneira de representar que só ela tem! O tempo, o time! Ela tem uma qualidade de uma atriz que eu acho impressionante, que além do talento que é muito importante, ela é generosa!” (NEY LATORRACA)

“Ela é uma das melhores comediantes do Brasil. Além de se apresentar falando português, também canta e conta piadas em ídiche, a língua de judeus. É uma pessoa que não deixa nada para amanhã. Com ela, é sempre para Hoje”. (TEREZA RACHEL)

“Falar de Berta Loran é fácil, difícil é não falar de Berta Loran. Uma pessoa extraordinária, que vem levando riso às pessoas, há mais de meio século, uma pessoa que não é apenas uma atriz, é uma referência, você é um argumento Berta Loran. Quando se fizer um documentário sobre humor popular no Brasil, tem que citar Berta Loran. Eu tenho muito orgulho, querida Berta, de tê-la como colega. A sua interpretação, a sua sinceridade, a sua inter-relação com o público, a sua versatilidade, me dá o direito de dizer que você é portadora de um talento brilhante. Parabéns pelo livro, parabéns pelo aniversário, e aceite esse versinho feito de coração para uma pessoa merecedora que é Berta Loran.

“Você é muito especial, Como gente e como atriz, Você tem todo o direito de permanecer feliz” (ARI TOLEDO)

“Berta foi uma das pessoas mais incríveis que conheci. A convivência com ela era deliciosa, um aprendizado diário, uma alegria”. (CLAUDIA MAURO)

“Ela sempre elaborou as piadas para saírem perfeitas como uma grande comediante que sempre foi. Além do talento, o que eu gosto na Berta é o seu corpo. Ela tem umas pernas maravilhosas.” (DAVID PINHEIRO)

“Conheço Berta há muitos anos. Ela fez tanta coisa bonita no teatro e na televisão, mas tem um trabalho que marcou muito para mim. Foi o quadro “Os Três Marinheiros” onde ela, Chocolate e Otelo Zeloni dançavam, cantavam e sapateavam, numa peça de Teatro de Revista que fui assistir. Eu fiquei tão encantado e apaixonado por aquele número que até hoje me lembro com saudades – era muito bom. Lembro que eles eram aplaudidos de pé pela plateia.” (DEDÉ SANTANA)

“Berta Loran é um verdadeiro fenômeno na história do showbiz nacional. Ela atravessou o seu tempo e chega aos 90 anos com alegria, com disciplina e amor ao ofício. Uma atriz múltipla que engrandece o cenário do entretenimento no Brasil. Parabéns!” (EDSON CELULARI)

“Um talento fora de série! Uma pessoa doce, educada. Uma pessoa fina, amiga.” (ELIEZER MOTTA)

“Eu via Berta sempre trabalhando e tornei-me sua fã; ela é extraordinária, um gênio na arte que faz. Além de ser um talento extraordinário, tem coração, alma, pegada; eu sou apaixonada por ela. Eu tenho 36 pneus e todos arriados por ela. Berta é uma pessoa que pega a alma das coisas e transforma em humor, o que é genial.” (ELKE MARAVILHA)

Berta Loran é símbolo do contracenar, símbolo da comédia. Ela ensina. Eu a considero uma das grandes comediantes de todos os tempos.” (FERNANDO RESKI)

“Berta Loran, um ícone da cultura brasileira! Única e eterna.”  (JANE DI CASTRO)

“Foi com muito prazer, alegria e honra que pude compartilhar a mesma cena com Berta. Ela, sempre muito generosa e aberta a ensinar aos mais novos tudo que sabe sobre a arte de representar e sobre televisão. Agradeço muito os ensinamentos e companheirismo desta doutora em arte” (LUG DE PAULA)

Trabalhar com Berta Loran é uma aula! A energia e disciplina que essa atriz completa tem, faz a gente entender o verdadeiro ofício do ATOR. Uma colega generosa e atenciosa com todos aqueles que dividem a cena com ela. (MARCELO CARIDADE)

“Para mim, ela é a melhor atriz desse Brasil. Uma mulher cheia de talento, cheia de vivacidade e qualidades.” (MARINA MIRANDA)

“Desde criança via com admiração a Berta nos programas de humor do Jô e Max Nunes, com seu talento nato e voz característica.  Sempre foi uma profissional muito séria e ótima colega.” (NIZO NETO)

Berta, além de ser uma colega do mais alto gabarito, é uma profissional de mão cheia. Canta muito bem, dança maravilhosamente bem e tem um “timing” de comédia que só ela tem. É uma profissional séria. Eu nunca vi a Berta cometer um erro em cena. Os textos dela são sempre muito decorados, são sempre muito elaborados, e tem mais uma coisa. Ela ajuda muita gente quando está em cena. Dá dicas, “Por que você não faz assim? Procura fazer assado…  Ela é maravilhosa” (PAULO SILVINO)

Agradeço muito tudo que aprendi com você; você não existe, você é maravilhosa, viva Berta!  (ROGÉRIA)

Grande Atriz, uma mulher especial, única. Lembro dela sempre com seu humor inteligente, sua voz forte, suas pernas perfeitas. Seus personagens cômicos eram únicos, uma composição cuidadosa, suas pausas precisas, e o rosto impávido, um humor cínico, adorável. (STELLA FREITAS)


Equipe do Projeto “BERTA LORAN: 90 Anos de Humor”

João Luiz Azevedo, jornalista e produtor cultural; autor do livro e produtor do projeto;

Angela Zaremba, fotógrafa;

Dan Strougo, curador e produtor de arte da exposição no Oi Casa Grande/RJ;

Teca Nicolau, curadora da exposição que ocupou a Sala Carlos Couto / Teatro Municipal de Niterói do dia 29/03 a 29/05;

Pedro Cadore, Roteirista e Diretor do filme em homenagem a atriz.


Informações

JOÃO LUIZ AZEVEDO – Tel. 21 – 98481-0933

Deixe uma resposta