BARCA DOS CORAÇÕES PARTIDOS EM APENAS 6 APRESENTAÇÕES NO TEATRO OI CASA GRANDE   

Dirigido por Duda Maia, espetáculo apresenta canções autorais do grupo – formado em ‘Gonzagão – A Lenda’ e ‘Ópera do Malandro’ – e mescla teatro, música, dança e performance

AUÊ – De 11 a 20 de agosto

Auê - Fotografia Silvana Marques

Auê – Fotografia Silvana Marques

No dicionário, auê significa farra, tumulto, confusão ou barulho causado por uma algazarra. Em cena, a companhia Barca dos Corações Partidos – forjada nas montagens de ‘Gonzagão – A Lenda’ e ‘Ópera do Malandro’ – apresenta 21 canções autorais e inéditas, em um espetáculo que mescla teatro, dança, performance e, claro, música. Criada em processo coletivo com a diretora Duda Maia, a encenação utiliza as letras como dramaturgia e os oito atores/cantores ainda são responsáveis por tocar todos os instrumentos ao vivo nesta verdadeira farra teatral. A idealização do projeto é fruto da parceria do grupo com a Sarau Agência, da produtora Andréa Alves, também responsável pelas outras montagens.

O repertório faz jus ao nome da companhia e traz uma leva de canções cujo tema principal é o amor e todas as suas dores e delícias.  As músicas foram compostas pelos atores da Barca (Adren Alves, Alfredo Del Penho, Beto Lemos, Eduardo Rios, Fábio Enriquez, Laila Garin, Renato Luciano, Ricca Barros) e alguns colaboradores, como o cantor e compositor Moyseis Marques, que protagonizou a ‘Ópera do Malandro’ com eles, e Laila Garin, atriz de ‘Elis – A Musical ’.

As composições foram produzidas nas muitas excursões da trupe e ‘apresentadas’ em ônibus, vans e camarins Brasil afora. Quando começaram a pensar no próximo espetáculo, foi percebido o rico material autoral que tinham em mãos. Em um processo que durou cerca de seis meses, o grupo selecionou algumas músicas, compôs outras e contaram com o retorno de Duda Maia, diretora de movimento de ‘Gonzagão’, que agora assume a direção geral.

‘As canções são altamente teatrais e a companhia já tem uma ligação muito forte, uma identidade. O desafio foi potencializar este encontro e integrar os instrumentos ao que acontece em cena. Brincamos ao falar que eles ‘vestem’ os instrumentos. Não é simplesmente pegar o instrumento e tocar, não é um show. A ideia é que tudo aconteça de forma natural, integrada à cena’, explica Duda, que ressalta o intenso trabalho corporal (‘não se deve confundir com força ou vigor’) do grupo.

Seguindo o conceito principal do trabalho, os atores promovem uma verdadeira celebração musical – ou um auê, como preferir – no palco. Ao longo dos números, a diversidade musical e rítmica das canções fica explícita nos arranjos assinados por Alfredo Del-Penho e Beto Lemos, que passam por samba de roda, baião, rock, valsa, ijexá, maracatu e coco. ‘A musicalidade da peça é uma grande homenagem à cultura musical brasileira, os ritmos dialogam com dança e teatro o tempo todo’, resume a diretora.


 

O espetáculo AUÊ está indicado em 5 categorias no Prêmio Cesgranrio

Melhor Espetáculo

Melhor Direção – Duda Maia

Melhor Direção Musical – Alfredo Del-Penho e Beto Lemos

Melhor Figurino – Kika Lopes

Categoria Especial – Elenco de Auê


 

FICHA TÉCNICA – AUÊ: Um espetáculo da Barca dos Corações Partidos

Auê - Fotografo Bruno Braga

Auê – Fotografo Bruno Braga

Direção: Duda Maia
Direção musical e arranjos: Alfredo Del-Penho e Beto Lemos

Com:

Ádren Alves (Percussão, sax soprano e vocais)
Alfredo Del-Penho (Violão, guitarra, baixo, cavaquinho, flauta, percussão e vocais)
Beto Lemos (Guitarra, violão, rabeca, sanfona e percussão)
Eduardo Rios (Sanfona, sax tenor e vocais)
Fabio Enriquez (Trompete, percussão e vocais)
Renato Luciano (Violão, trombone e vocais)
Ricca Barros (Baixo, sax alto e vocais)
Músico convidado: Rick de La Torre (Bateria)

Iluminação: Renato Machado
Direção de Arte: Kika Lopes
Direção de produção: Andréa Alves
Diretor assistente: Eduardo Rios

Coordenação de Produção: Leila Maria Moreno
Produção Executiva: Marceo Chaffim e Rafael Lydio
Assistente de iluminação: Rodrigo Maciel
Assistente de direção de Arte: Rocio Moure
Preparação dos instrumentos de sopro: Gilson Santos
Fotografia: Silvana Marques
Programação Visual: Beto Martins e Gabriela Rocha

SERVIÇO

De 11 a 20 de agosto de 2016
Quinta e Sexta às 21h e Sábado às 17h

Teatro Oi Casa Grande

Duração: 90 minutos
Classificação etária: 12 anos

Deixe uma resposta