ANIMA MUNDI CELEBRA 25 ANOS NO CENTENÁRIO DA ANIMAÇÃO BRASILEIRA

O festival que qualifica o curta vencedor para a disputa pelo Oscar® apresenta em julho, no Rio e em São Paulo, 470 filmes de 45 países

 

No centenário da animação brasileira, o Anima Mundi completa 25 anos repleto de motivos para comemorar. Com uma programação especialíssima, convidados internacionais de peso e a retomada de suas aguardadas oficinas, o festival apresenta em julho um panorama com o que há de melhor no mundo nos mais diversos gêneros da animação.

Nas sessões oficiais são 345 produções de 45 países, entre elas 70 nacionais – mas contando com as mostras especiais e retrospectivas, o número chega a 470 títulos. Realizado desde 1993 pelos animadores Aída QueirozCesar CoelhoLéa Zagury e Marcos Magalhães, o Anima Mundi é a principal plataforma de fomento à animação do país e responsável pela formação de toda uma geração de realizadores e de um público apaixonado, que todo ano lota salas de cinema e espaços do Rio e de São Paulo para assistir a curtas e longas adultos e infantis, dos mais variados temas, técnicas e origens.

Consagrado como um dos mais importantes festivais internacionais de animação, o Anima Mundi 2017 aporta no Rio de Janeiro de 14 a 23 de julho e, em São Paulo, de 26 a 30 de julho. No Rio, vai ocupar o Centro, no Cine Odeon – Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro, Espaço Cultural BNDES, Centro Cultural Justiça Federal, Cinemateca do MAM, Centro Cultural dos Correios e Centro Cultural do Banco do Brasil, que abrigou a primeira edição do Anima Mundi. Em São Paulo, será realizado na Caixa Belas Artes, Centro Cultural Banco do Brasil, Centro Cultural São Paulo, Cinemateca Brasileira e chega também às salas do Circuito Spcine, localizadas em todas as regiões de São Paulo.

As mostras competitivas reúnem 182 produções nas categorias Curta (82 títulos), Curta Infantil (49),Longa-Metragem (4), Longa-Metragem Infantil (3), Galeria (20 filmes experimentais) e Portfólio (24 filmes publicitários ou feitos sob encomenda). O Anima Mundi é qualificado pela Academy of Motion Pictures Arts and Sciences (Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos EUA) e o curta vencedor do Grande Prêmio Anima Mundi é selecionado para a disputa do Oscar®. O festival realiza cerimônias de premiação no Rio e em São Paulo.

As mostras não-competitivas são Panorama (curtas internacionais que apresentam diversas tendências dentro da animação), Animação em Curso (trabalhos finais das melhores escolas de animação do mundo), Olho Neles! (curtas nacionais que merecem atenção) e Futuro Animador (filmes que utilizam as linguagens da animação para experiências educativas). A programação do Anima Mundi traz também palestras e bate-papos para profissionais, amadores e amantes da animação, além do Estúdio Aberto, com as tradicionais oficinas. Crianças e adultos poderão experimentar como é criar imagens animadas como as exibidas nas sessões do festival. Nesta edição, as técnicas apresentadas são pixilation e zootrópio.

Entre os destaques da edição 2017 estão as Sessões Petrobras, patrocinadora do Anima Mundi desde 1977, apresentando os filmes que foram premiados nos 25 anos do festival; uma retrospectiva dos cem anos da animação brasileira; além do Foco Canadá, que contempla uma mostra com quatro sessões especiais incluindo produções do National Film Board para crianças e adultos e um documentário sobre o célebre Norman McLaren.

A exposição interativa Flora, do artista multimídia alemão Philipp Artus, apresenta animações experimentais que exploram as manifestações da vida através dos movimentos, criando formas que se assemelham à aparência de plantas. O público pode controlar interativamente a animação com umtouchpad, e assim projetar novos padrões. No Rio, Flora estará na Casa França Brasil e em São Paulo, no Centro Cultural São Paulo  (CCSP).

Para as crianças – São três longas infantis na programação deste ano: Barkley, de Li-Wei Chiu (Taiwan);The Oddsockeaters, de Galina Miklínová (República Tcheca/Eslováquia); e Pixi Post and the Gift-Bringers, de Gorka Sesma (Espanha). Além de 49 curtas-metragens de todos os cantos do planeta, haverá a exibição de episódios inéditos da segunda temporada da série de animação Irmão do Jorel, do Cartoon Network, com participação do criador, Juliano Enrico. Em São Paulo, o Anima Mundi traz também o pré-lançamento do longa Lino, com o making of da animação da Fox Films que estreia em setembro no Brasil. O filme narra as agruras de um azarado animador de festas e conta com as vozes dos atores Selton Mello, Paolla Oliveira e Dira Paes.

Para o público adulto – Os aguardados longas-metragens são Pequeños Heroes (Venezuela), sobre três crianças que ajudam Simon Bolívar em sua luta pela liberdade, com direção de Juan Pablo Buscarini (um dos produtores do sucesso do cinema argentino Um Conto Chinês); Ethel and Ernest, de Roger Mainwood (Reino Unido/Luxemburgo), desenhado a mão e dirigido por Roger Mainwood, que faz um retrato íntimo do estilo de vida londrino de seus pais; e o delicado Window Horses, de Ann Marie Fleming (Canadá), que conta a história de uma jovem poetisa canadense com pais chineses e persas que viaja até o Irã para se apresentar em um festival de poesia. Do Brasil, serão exibidos curtas esperados como Sob o Véu da Vida Oceânica, de Quico Meirelles; Em Crise, de Amir Admoni; Mundo de Wander, de Lisandro Santos; Finito, de Mauricio Bartok Ruiz, entre muitos outros.

Papos Animados – Além da exibição dos filmes, o Anima Mundi promove os ‘Papos Animados’, que reúnem conversas com grandes diretores de animação do Brasil e do mundo. Este ano, entre os convidados, está o holandês Michael Dudok, vencedor do Oscar de melhor curta de animação pelo filmeFather and Daughter, em 2001. Além da estatueta, ele acumula um prêmio César para melhor curta-metragem de animação e uma indicação ao Oscar, com The Monk and the Fish (1994). Dudok, vencedor do prêmio de melhor longa do Anima Mundi 2016, no Rio e em SP, também foi indicado, no mesmo ano, ao Oscar por The Red TurtleRobert Valley, indicado ao Oscar pelo filme Pear Cider and Cigarretes (2017), apresenta sua marcante linguagem de HQ e videoclipes de bandas como Gorillaz e Metallica.Também estarão presentes o diretor uruguaio Walter Tournier, premiado em diversos países com os filmes  El jefe y el Carpintero, Caribbean ChristmasA pesar de Todo, entre outros; o búlgaro Theodore Ushev, que teve seu filme Blind Vaysha premiado como melhor roteiro da edição de 2016 no Anima Mundi e, em 2017, foi indicado ao Oscar de melhor curta de animação; e o brasileiro Guilherme Alvernaz, filho do animador Ruy Perotti – um dos pioneiros da animação nacional – e sócio na produtora Oca Filmes, que participa do papo “Família Perotti – três gerações de animadores”, que reúne pai e filho, além do irmão, Bruno Avila Barbosa.

Maratona Animada SENAI – O Anima Mundi, em parceria com o SENAI, lança um desafio criativo para um grupo de animadores previamente inscritos. Eles precisam desenvolver um curta-metragem em sete dias contendo tema e elemento obrigatório escolhido pelo festival. As produções vão ser avaliadas por um júri técnico nos quesitos animação, roteiro, arte, edição e som. Os três filmes finalistas serão exibidos no encerramento do Anima Mundi. A equipe vencedora ganhará R$ 5 mil, além de bolsas de estudo para cursos de animação do SENAI.

Circuito SPcine – Nesta edição, o Anima Mundi chega também às salas do Circuito Spcine através da maior rede de salas públicas de cinema do Brasil. O Festival estará presente nas salas SPcine Olindo, SPcine Roberto Santos, SPcine Cidade Tiradentes e nos CEUs. Serão exibidas cerca de 50 produções de diversos países como Rússia, Alemanha, Hungria, Brasil, Lituânia, Irlanda e Israel.

Curadoria – Desde 1993, Aída, Cesar, Lea e Marcos têm a árdua, mas feliz missão de realizar a curadoria de todas as mostras do Anima Mundi, selecionando entre milhares de títulos (este ano foram 1200 inscritos) as melhores produções. E identificam temáticas surpreendentemente comuns a países de culturas completamente diversas. “Este ano temos muitos curtas internacionais que retratam realidades distópicas e, fazendo um contraponto interessante, outros tantos sobre relações familiares e maternidade”, observa Aída Queiroz.

Lea Zagury conta que o festival é uma oportunidade de conhecer as diferentes maneiras pelas quais artistas de vários cantos do mundo se expressam através da animação, com uma enorme variedade de temas e técnicas. Além disso há a chance de debater com os autores presentes no Papo Animado, onde eles relatam suas experiências pessoais e profissionais com a animação

Para Marcos Magalhães, a animação extrapola o conceito de arte: “É uma linguagem. E aqui temos a oportunidade de apresentar filmes que expressam essa linguagem das mais variadas formas, promovendo o encontro dos animadores com seu público”, diz Marcos. Este ano serão exibidas produções de todos os continentes, em stop motion, a animação em 2D e 3D, filmagens ao vivo, desenho direto na película e técnicas mistas.

Cesar Coelho destaca a importância do Anima Mundi na formação do mercado de animação do Brasil. “Quando começamos, tínhamos esse sonho e hoje vemos uma geração inteira de animadores que cresceu com o Anima Mundi nesses 25 anos. Temos um mercado e uma produção consistente. Continuamos na missão de formar não só plateias como profissionais e há 12 anos realizamos o Anima Forum, um dos braços mais importantes do Anima Mundi.”

Anima Forum 2017 – Pensado também para os profissionais do ramo, o Anima Forum promoverá 17 palestras e mesas redondas no Rio de Janeiro (de 19 a 21 de julho no CRAB) e São Paulo (de 26 a 28 de julho, no SENAC), além de master classes voltadas para os interessados no mercado de animação. Entre os convidados, Robert Feng, diretor de arte da premiada abertura da série Game Of Thrones, que lançará sua nova animação durante o festival e ministrará uma aula sobre a produção da célebre abertura. Outras masterclasses serão ministradas por Robert Valley, que revela seu processo criativo, dos quadrinhos à animação; e Walter Tournier, mestre do stop motion uruguaio, que conta como é possível produzir filmes em stop motion com baixo orçamento.

As mesas redondas, sempre muito concorridas, abordam diversos assuntos relevantes ao universo da animação. No Rio, alguns temas de debate são “Youtube como vitrine para a animação brasileira”, “Branded Content – Uma alternativa para produções de animação” e “Atravessando a fronteira – Animação e Games”. Palestrantes de peso também estarão presentes no Anima Forum: Juliano Enrico, criador e diretor de “Irmão do Jorel”, relata o processo de criação à exibição da série; Rachel do Valle, gerente executiva da Brazilian Content/BRAVI, aborda as oportunidades para a animação brasileira entre Brasil e Inglaterra; e André Scucato, analista técnico audiovisual da FIRJAN, comenta as novas tecnologias da imagem presentes atualmente no mercado, como vídeo 360, realidade virtual e realidade aumentada.

Em São Paulo os temas das mesas redondas são “Dando vida aos personagens – Como criamos as vozes originais do Irmão do Jorel”, “Mecanismos de financiamento à animação” e “Atravessando a fronteira – animação e games”. “Criação e produção de trilha sonora para longa-metragem e séries de animação”, “Primeira Vista – ‘Tito e os Pássaros’” e “Tratado Brasil-Inglaterra: oportunidades para a animação brasileira” são os assuntos abordados nas palestras.

Ainda dentro da programação do Forum, o Anima Business é dedicado ao intercâmbio entre produtores e compradores, e o Anima Coaching seleciona projetos para que produtores recebam orientação de profissionais sobre como inseri-lo no mercado.

Cursos e Oficinas – Ao longo de todo ano, a plataforma Anima Mundi oferece cursos em sua sede, em Botafogo (RJ), para interessados ou profissionais em animação. Entre as aulas oferecidas estão ateliê de desenho, curso de design de personagem, criação de bonecos para stop motion, entre outros. O Anima Mundi acredita na animação como fonte de conhecimento e desenvolvimento de habilidades essenciais para a futura vida profissional – e criativa – de crianças e jovens. Por isso, a plataforma comporta o projeto Anima Escola, que também oferece cursos e oficinas a professores e disseminadores da animação, para que estimulem, em sala de aula, a produção de filmes próprios. Ao longo de 16 anos, desde sua criação, o projeto já alcançou 2.700 professores e multiplicadores e 15.000 alunos já foram atendidos no Rio de Janeiro e em diversas regiões do Brasil, como Volta Redonda (RJ), Macaé (RJ), Niterói (RJ), Angra dos Reis (RJ), Campinas (SP), Suzano (SP) e outras.

Anima Itinerante – Como maior fomentador da animação no país, o Anima Mundi também promove edições itinerantes por diversos estados brasileiros. Este ano, já estão confirmadas passagens por Salvador, Belo Horizonte, Cuiabá, Rio Grande do Sul e Fortaleza.

Anima Mundi no Canal Brasil – Há sete anos o festival ganhou um espaço de destaque na TV com a faixa “Anima Mundi Brasil”, do Canal Brasil. As animações escolhidas mostram o que há de mais belo, moderno e interessante sendo produzido pela nova geração de talentos dos últimos anos. A série busca desvendar as diferentes abordagens da arte animada, suas mais diversas estéticas e formatos de produção.

SOBRE OS DIRETORES

Aída Queiroz
Diretora de animação, formada pelo National Film Board of Canada. É sócia-proprietária da produtora carioca Campo 4. Seu primeiro curta, NOTURNO, levou o prêmio de Melhor Curta-metragem no Festival de Havana em 1986. Entre as produções para TV, foi diretora de animação das chamadas e a abertura da novela Cordel Encantado, da Rede Globo e, mais recentemente, da abertura do seriado Brasil a Bordo, de Miguel Falabella, no ar no Globo Play.

Cesar Coelho
Diretor de Animação formado pelo National Film Board of Canada. É sócio-proprietário da Campo 4 Desenhos Animados. Foi diretor de animação das duas temporadas das minisséries Hoje é Dia de Maria e Afinal, o Que Querem as Mulheres?, da minissérie ‘Quem Sou Eu?’, exibida no Fantástico, em abril deste ano, e da novela Meu Pedacinho de Chão. Foi coordenador de animação na Cerimônia de Encerramento dos Jogos Olímpicos Rio2016.

Léa Zagury
Formada em Comunicação Visual pela PUC Rio, participou do programa de animação do National Film Board of Canadá/Embrafilme e fez Mestrado em Cinema de Animação Experimental no California Institute of the Arts.”Dirigiu cinco curtas de animação sendo que Karaíba(1994) foi premiado em festivais de animação internacionais. Trabalhou na PDI como animadora de efeitos especiais e Turner Feature Animation como artista de desenvolvimento de longas.

Marcos Magalhães
Cineasta de animação autor de Meow (Prêmio Especial do Júri em Cannes), Animando (filmado no National Film Board of Canadá) e do ratinho de massinha do Castelo Ra-tim-bum, entre outros. É também Professor Doutor de Animação na PUC-Rio.

25 ANOS DE ANIMA MUNDI

PÚBLICO: MAIS DE 1,2 MILHÃO DE PESSOAS

MAIS DE 9 MIL FILMES EXIBIDOS, DE 70 PAÍSES

CERCA DE 120 MIL ANIMAÇÕES CRIADAS NAS OFICINAS
PREMIAÇÃO

GRANDE PRÊMIO ANIMA MUNDI
Atribuído conjuntamente pelo Júri Profissional e pelos diretores do festival para a Categoria Curta-Metragem. Valor do prêmio: R$ 15 mil

PRÊMIOS – JÚRI POPULAR
O público do Festival Anima Mundi elege por voto direto, com prêmios separados para Rio de Janeiro e São Paulo, os melhores curtas-metragens das seguintes categorias, com prêmios separados para cada cidade: Melhor Curta de Estudante Valor (R$ 4 mil), Melhor Curta Infantil (R$ 5 mil); Melhor Curta Brasileiro (R$ 8 mil); Melhor Curta (R$ 10 mil). Os longas-metragens serão premiados pela média da votação dos públicos de Rio de Janeiro e São Paulo, com um prêmio único para cada categoria: Melhor Longa Infantil (R$ 5 mil), Melhor Longa (R$ 5 mil) – a cerimônia de premiação dos longas é realizada em São Paulo.

PRÊMIOS – JÚRI PROFISSIONAL
Um colegiado composto por animadores, cineastas, jornalistas, artistas plásticos, músicos e demais profissionais ligados à arte da animação, confere prêmios específicos em quatro categorias profissionais para os curtas-metragens das categorias ‘Curtas’ e ‘Curtas Infantis’, além de deliberar também o prêmio para a categoria ‘Galeria’ e o Grande Prêmio Anima Mundi em conjunto com a direção do festival (acima). Melhor Roteiro (R$ 4 mil), Melhor Concepção Sonora (R$ 4 mil), Melhor Direção de Arte (R$ 4 mil), Melhor Técnica de Animação (R$ 4 mil), Prêmio Galeria (R$ 4 mil), Melhor Filme de Encomenda – Portfólio (R$ 4 mil). Além disso, os vencedores – tanto os selecionados pelo júri popular quanto os pelo júri profissional – recebem, também, o troféu Anima Mundi.

PRÊMIO BNDES DE MELHOR ANIMAÇÃO BRASILEIRA
Criado em 2013, o prêmio BNDES de Melhor Animação Brasileira é conferido à produção mais votada pelo público no Festival, somando os votos do Rio de Janeiro e de São Paulo. Pelo quarto ano consecutivo, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, patrocinador do Anima Mundi desde 2007, será o apresentador exclusivo do prêmio.

PRÊMIO CANAL BRASIL
Um júri composto por jornalistas e críticos de cinema escolhe o melhor curta brasileiro em competição, que além de ser exibido na grade de programação da TV, recebe o Troféu Canal Brasil e R$ 15 mil. O filme se classifica também para o Grande Prêmio Canal Brasil, no valor de R$ 50 mil reais. Criado em 1998, o Prêmio Canal Brasil é realizado nos 12 principais festivais de cinema brasileiros e tem como objetivo incentivar a produção, a exibição e a divulgação de curtas-metragens.

O Festival Anima Mundi é apresentado pelo Ministério da Cultura, Secretaria de Estado da Cultura do Rio de Janeiro, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura e Petrobras. O evento conta com patrocínio ouro do BNDES, patrocínio prata da Contax e Centro Cultural do Banco do Brasil, patrocínio bronze da RioFilme, Spcine e SENAI RIO.
Além dos patrocinadores o evento tem o apoio institucional do SENAC-SP, Consulado do Canadá, Centro Cultural Justiça Federal, Centro Cultural dos Correios, Casa França Brasil, Centro Cultural de São Paulo, Canal Brasil, Cesnik Quintino & Salinas Advogados, BRAVI (Associação Brasileira de Produtoras Independentes de Televisão) e do BIG Festival.

 www.animamundi.com.br

Rio de Janeiro: 14 a 23 de julho

Cine Odeon – Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro
Praça Floriano, 7 – Centro
Funcionamento: Terça a Domingo, das 11:30 às 22:00 | Informações: (21) 2240-1093
Ingressos: inteira R$10,00 e meia R$5,00

CCBB – Centro Cultural Banco do Brasil
Rua Primeiro de Março, 66 – Centro
Funcionamento: Quarta a Segunda, das 9:00 às 21:00 | Informações: 3808-2052 ou 3808-2049. Ingressos: inteira R$10,00 e meia R$5,00

CCJF – Centro Cultural da Justiça Federal
Av. Rio Branco, 241 – Centro
Funcionamento: Terça a Domingo, das 12:00 às 19:00| Informações: (21) 3261-2550
Ingressos: inteira R$10,00 e meia R$5,00. Inclui sessões gratuitas.

Espaço Cultural BNDES
Av. República do Chile, 100 – Centro
Funcionamento: Terça a Sexta, das 13:00 às 19:00 | Informações: (21) 2172-7447
Sessões gratuitas

Centro Cultural Correios
Rua Visconde de Itaboraí, 20 – Centro
Funcionamento: Quarta a Domingo, das 12:00 às 19:00| Informações: (21) 2219-5310
Ingressos: inteira R$10,00 e meia R$5,00. Inclui sessões gratuitas.

Casa França-Brasil
Rua Visconde de Itaboraí, 78 – Centro
Funcionamento: 10:00 às 22:00| Informações: (21) 2219-5310
Atividade na área externa

Cinemateca do MAM
Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo
Funcionamento: Terça a Sexta, das 12:00 às 18:00. Sábado, domingo e feriado, das 11:00 às 18:00 | Informações: (21) 3883-5600
Sessões gratuitas

São Paulo: 26 a 30 de julho

Caixa Belas Artes
Rua da Consolação, 2423 – Consolação
Funcionamento: Quarta a Domingo, das 13:00 às 21:00 | Informações: (11) 2548-7553
Ingressos: inteira R$10,00 e meia R$5,00

CCBB – Centro Cultural Banco do Brasil
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro
Funcionamento: Quarta a Segunda, das 9:00 às 21:00 | Informações: (11) 3113-3651
Ingressos: inteira R$10,00 e meia R$5,00

CCSP – Centro Cultural São Paulo
Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso
Funcionamento: Terça a Domingo, das 10:00 às 22:00| Informações: (11) 3397-4002
Ingressos: inteira R$4,00 e meia R$2,00

Cinemateca Brasileira
Largo Sen. Raul Cardoso, 207 – Vila Clementino
Informações: (11) 3512-6111
Sessões gratuitas

Circuito SP Cine
Consulte endereços e horário de funcionamento no site: http://www.circuitospcine.com.br/
Ingressos: Sessões gratuitas

Centros Educacionais Unificados da Cidade de São Paulo (CEUs)
Consulte endereços e horário de funcionamento no site : http://portal.sme.prefeitura.sp.gov.br/Main/Page/PortalSMESP/CEUs–Enderecos
Ingressos: Sessões gratuitas

SESSÕES PÓS-FESTIVAL

CCBB Rio – Centro Cultural Banco do Brasil – 24 a 30/07
Rua Primeiro de Março, 66 – Centro
Funcionamento: Quarta a Segunda, das 9:00 às 21:00 | Informações: 3808-2052 ou 3808-2049. Ingressos: inteira R$10,00 e meia R$5,00

Centros Educacionais Unificados da Cidade de São Paulo (CEUs) – 27 e 30/07
Consulte informações no site : http://portal.sme.prefeitura.sp.gov.br/Main/Page/PortalSMESP/CEUs–Enderecos
Ingressos: Sessões gratuitas

CCBB São Paulo – Centro Cultural Banco do Brasil – 31/07
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro
Funcionamento: Quarta a Segunda, das 9:00 às 21:00 | Informações: (11) 3113-3651
Ingressos: inteira R$10,00 e meia R$5,00

Circuito SP Cine – 5 e 6/08
Consulte informações no site: http://www.circuitospcine.com.br/
Ingressos: Sessões gratuitas

Cinemateca Capitólio Petrobras (Porto Alegre) – 10 a 13/08
Rua Demétrio Ribeiro, 1085 – Centro Histórico
Funcionamento : Teça a domingo, das 9 às 21h. Sábado, domingo e feriado, das 14h às21h. | Informações: (51) 3289 – 7458

CCBB Brasília – Centro Cultural Banco do Brasil – 5 a 12/10
SCES, Trecho 02, lote 22 – Brasília
Funcionamento: Terça a domingo, das 9h às 21h | Informações: (61) 3108-7600
Ingressos: inteira R$10,00 e meia R$5,00

 

CONSULTE A PROGRAMAÇÃO DO ANIMA MUNDI

Deixe uma resposta